O amor como sinal de vida

1 Coríntios 13:1 AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

A grande mensagem do Evangelho é a vida que Deus nos oferece. Não a vida secular, de alguns anos sobre esta terra, mas a vida eterna que Ele nos tem preparado, em Cristo Jesus:

as palavras que eu vos disse são espírito e vida” [Jo 6:63b)

“Porque eu não tenho falado de mim mesmo; mas o Pai, que me enviou, ele me deu mandamento sobre o que hei de dizer e sobre o que hei de falar. 50 E sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, o que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito.” [Jo 12:49]

O Espírito Santo, por meio desta carta apostólica, trouxe um alerta importante: Ele está mais interessado no mensageiro do que na mensagem. Claro, a mensagem é importante (At 6:10). Sim, a mensagem proclamada deve ser fiel à recebida do seu Remetente (Tt 1:9 e 2:1). Também não há dúvida da necessidade de se proclamá-la (1 Co 9:16, Mc 16:15, 2 Tm 4:2). No entanto, antes de salvar os destinatários da mensagem, o Senhor deseja salvar o mensageiro (1 Co 9:27).

O alerta do Senhor é para a terrível realidade de que muitos estão pregando a salvação sem serem salvos. Estão anunciando vida estando ainda mortos. Podem proclamar liberdade estando cativos (2 Pedro 2:19).

O Espírito Santo, autor desta carta redigida por Paulo e Sóstenes, não quer que ninguém seja surpreendido no dia do Senhor Jesus. Não quer que ninguém tenha corrido em vão.

Muitas vezes damos muita atenção aos dons espirituais ou à ortodoxia (integridade doutrinária) e deixamos a essência de lado. E a essência da vida cristã é o amor.

Jesus certa vez disse que o único selo de discípulo que poderiam ter era o amor pelos outros: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros” [Jo 13:35].

Não é a placa da sua igreja. Não é o dom de curar nem o de operar milagres. Não é ser doutor em teologia nem pregar com excelente oratória. O amor é o sinal de vida cristã, tal como o fôlego é para o reconhecimento de um ser vivo.

Um sino pode tocar e fazer ouvir claramente sua mensagem bem longe. Seu som pode ser bem forte, bonito e bem definido. Ainda assim, a despeito de sua mensagem, o sino continua sendo um objeto inanimado. Ele não tem vida.

Deus quer que você e eu sejamos mais do que um objeto sem vida que emite sons para todos. Deus quer que sejamos como cartas vivas lidas por todos os homens, cuja mensagem, pelo nosso viver, seja bem clara de que Deus amou o mundo de tal maneira, que enviou o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s